Pular para o conteúdo principal

Conheça as cores mais raras de olhos do mundo

Tem se falado constantemente  que os olhos são uma ferramenta poderosa para a comunicação, para a sedução, e até mesmo para liberar a energia , quanto mais rara a cor, mais eficaz a sua mensagem.
A cor da íris de uma pessoa é determinada principalmente pela quantidade e pela distribuição de melanina, e também influenciado por outros pigmentos como lipocromo, cujo várias combinações resultam na maioria das cores que vemos na rua.
Mas existem outras cores menos comuns que resultam apenas de uma certa tendência genética, ou mesmo uma doença,cientistas descobriram novos genes que determinam a cor dos olhos em humanos, e argumentam que a cor dos olhos tem mais dimensões e variações do que aqueles já conhecidos em azul, verde e marrom .
Embora mais de 50% da população mundial tenha  olhos castanhos,  você pode encontrar pessoas com os olhos amarelos, roxo e até mesmo vermelho.
A quinta cor menos comum é o verde, apenas 2% da população tem esse tom .Na Europa estão presentes em menor grau do que o azul e o marrom, exceto na Hungria, onde os olhos verdes representam 20%, e na Islândia  onde a cor está presente nos olhos de 80% da população, alguns povos asiáticos também  possuem essa cor nos olhos.


O próximo da lista se enquadra na categoria de fantasia : O tom amarelo âmbar,  produzido pela predominância de lipocromo na íris.Geneticamente não há explicação para esta coloração conhecida como ‘olhos de lobo “, mas não devem ser confundidos com aqueles que mostram um anel claro de marrom, amarelo ou de cobre ao redor da pupila.
Esse tipo de olhos se encontra  em países europeus como a Romênia, França, Espanha, Suíça, Itália e Eslovênia,embora essa cor dos olhos também seja comum em pessoas do Brasil e da ásia.
 photo violeta_zpsefd87341.jpg
Olhos violeta esta cor se origina de uma mistura de tons vermelhos com reflexões azul, resultando em um azul irreal , ele pode ser observado especialmente em indivíduos afetados de albinismo, embora tenha ocorrido casos em pessoas sem a doença.
O segundo lugar  em  raridade é para olhos negros (não deve ser confundido com olhos castanhos escuros), são aqueles onde é praticamente impossível diferenciar a pupila  da íris, são bastante comuns em pessoas de países africanos, asiáticos e, em menor medida os nativos americanos. No entanto, apenas cerca de 1% da população mundial têm olhos negros.
Para que esse fenômeno aconteça há dois casos diferentes: o  a cor da íris é de um marrom tão escuro que parece preto, ou a pessoa em questão sofre aniridia , uma doença rara que faz com que se tenha total ausência da íris.
 photo albinodef-515x313_zpsc95ea83a.jpg
O primeiro lugar neste ranking fica para os definitivamente estranhos olhos de cor vermelha,  essa cor existe e não é só causada pelo flash de uma câmera.
Aqueles que são mais comumente possuidores  desta cor peculiar são novamente os albinos,Tal como aconteceu com os olhos violeta, nos casos mais graves da doença a íris carece completamente de melanina,permitindo que a  hemoglobina passe através dos vasos sanguíneos da retina, o que resulta em uma cor vermelha.
Infelizmente, essas pessoas muitas vezes sofrem de fotofobia, nistagmo, estrabismo, miopia, astigmatismo e uma infinidade de doenças que diminuem a cor de seus olhos para a menor das suas preocupações,o mais estranho é que também houve casos de níveis de  olhos vermelhos em uma pessoa saudável.
Os olhos são chamados de “espelhos da alma”. Apesar de não perceber, você os usa  continuamente para expressar emoções, humores e até mesmo o amor. Caso o seu não esteja  em nenhuma das categorias acima, aproveite. Você é único.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe do que é feito e como é feito o chiclete?

É claro que você já mascou chiclete principalmente quando era criança! Mas você sabe de onde é feito chiclete? Como é feito?







    Eu, já ouvi pessoas dizendo que o chiclete vem do couro do boi...mas é claro que não é feito assim, pelo menos não hoje em dia!







      O chiclete não é uma coisa tão nova assim, antigamente, a um tempo que até hoje não se estima, os povos gregos tinham o costume de mascar resina de arvores, os mesmos usavam para estimular a salivação e assim limpar os dentes! Antes da colonização, no continente americano, a colonização europeia tinha o costume também, porém mascavam o látex do sapotizeiro, e era usada pelos Maias e Astecas e outras civilizações, e os mesmos davam o nome de Chicle.









       O chiclete que nós conhecemos hoje, surgiu no ano de 1872, quando Thomas Adams, fabricou o primeiro lote de chicletes em formato de bolas, porém estes não eram feitos de sapotizeiro, e sim aromatizado com resinas naturais do extrato de alcaçuz.

Os seis pratos mais sádicos de todo o Mundo

A maioria de nós ama um bom e suculento bife ou um belo frango assado né? E não é nenhum segredo que a vida de um animal indo para o matadouro não é de sorrisos e canções felizes. Isso é fato.

Mas vai que você se depara com uma comida que requer que o animal não esteja morto, mas que seja torturado de uma maneira terrível e diabólica bem no seu prato. Abaixo estão os exemplos que provam que, para alguns, a crueldade pode ser deliciosa.

ATENÇÃO: Algumas imagens perturbadoras, particularmente em # 1.

# 6.Ikizukuri

Origem:Japão
O que há de tão ruim nisso?Imagine que você está no Japão. Você quer aproveitar a viajem e experimentar a cozinha japonesa autêntica. Aviso: Esta pá de madeira com a imagem da Hello Kitty, não tem nada a ver com esta matéria. Ignore-a.



Você vai a um restaurante de sushi, e na hora do pedido, a primeira coisa que soar apetitoso é o que você vai pedir. Logo você vê uma confusão de sílabas japonesas que parece ser deliciosa: "Ikizukuri". Você pede. E só então, um…

A Verdade Sobre Chris McCandless, “Na Natureza Selvagem”

A Verdade Sobre Chris McCandless, Do Filme “Na Natureza Selvagem”
Quem nunca sonhou em jogar tudo pro alto e ir atrás do que se acredita? Quem já se pegou preso na rotina compulsiva do dia-a-dia, e já se questionou se as modernidades não atrapalham mais do que ajudam? Chris McCandless, famoso personagem do filme “Na Natureza Selvagem” (Into the Wild) fez o que muitos sonham e outros criticam. Ele largou tudo que tinha: seu diploma, seu carro, sua família e até sua conta bancária. Foi com uma mala em busca do grande sonho de se chegar ao Alaska. Conheça a pessoa por trás do filme de Sean Penn. Chris sobreviveu do que caçava e colhia no Alaska por mais de 100 dias Chris era um típico americano de classe-média alta, recém-formado e com problemas de relacionamento com os pais. Deixou tudo e saiu numa Odisseia solitária em busca do gélido Alaska, distante da civilização. O sucesso acadêmico de Chris apenas aguçou o vazio que ele percebia no materialismo da sociedade. Tendo realizado seu grand…