Pular para o conteúdo principal

As 10 maiores invenções e descobertas da ciência!

Para comemorar seu centenário este ano, o Museu de Ciências de Londres resolveu promover uma pesquisa entre seus frequentadores e internautas para criar uma lista das 10 maiores invenções e descobertas da ciência nestes seus 100 anos de existência. Foram mais de 50.000 votos e o grande campeão, anunciado há duas semanas, foi o raio X, arrebentando 1/5 das pessoas votantes e surpreendendo até mesmo os organizadores. Confira abaixo a lista completa e seu impacto na história do mundo:
1) O Raio X: o alemão Wilhelm Conrad Röntgen é considerado o grande inventor do raio-X (apesar de outros cientistas terem estudado seus efeitos antes e depois da descoberta), uma forma de radiação eletromagnética que pode penetrar em objetos sólidos e que passou a permitir que diagnósticos médicos fossem mais acurados, não se baseando apenas em sintomas e cirurgias.
2) A Penicilina: o primeiro dos antibióticos, descoberto por acidente pelo escocês Alexander Flemming em 1928 (embora seja mais um caso onde haviam estudos anteriores), foi um verdadeiro marco na história da medicina, já que passou a salvar incontáveis vidas de várias doenças infecciosas.
3) Dupla espiral do DNA: a estrutura do DNA foi descoberta pelos cientistas Francis Crick e James Watson em 1953. Ajudou o homem a entender a formação da vida e contribuiu para o desenvolvimento da engenharia genética.
4) A Apolo 11: há 40 anos quando aqueles três homens conseguiram o feito de pisar no satélite natural da Terra e voltar para contar a história, estavam realizando um sonho da humanidade que povoou a mente de escritores (como Júlio Verne) e cientistas por séculos.
5) Os foguetes V-2: é estranho que uma arma de destruição inventada pelos nazistas para bombardear Londres da costa da França entre nesse ranking, mas foi daí que os programas espaciais russo e americano se originaram. E os mísseis balísticos também.
6) A locomotiva Rocket: ela não foi a primeira locomotiva do mundo e sim a primeira locomotiva a vapor moderna da humanidade, desenvolvida pelo inglês George Stephenson. Seu design foi usado por mais de 150 anos e a locomoção entre grandes distâncias nunca mais foi a mesma.
7) O computador Pilot Ace: foi um dos primeiros computadores desenvolvidos na Inglaterra no início dos anos 50, desenvolvido pela National Physical Laboratory. Além de conseguir fazer mais de uma atividade ao mesmo tempo (o que era um avanço na época), foi durante um período, o computador mais rápido do mundo.
8) A máquina a vapor: desde o primeiro século AD que a utilização de vapor para movimentar máquinas aparece na escrita científica mas foi no século 19 que se transformou em eficiente realidade, dando início à Revolução Industrial, ao aparecimento das fábricas e futuramente à poluição.
9) Ford modelo T: se você odeia congestionamento, culpe Ford. Se faz parte de algum sindicato também. Foi ele que ao mesmo tempo motorizou um país todo (e posteriormente a moda pegou no resto do planeta) e ainda criou as linhas de produção em massa, mudando a manufatura e as relações trabalhistas para sempre.
10) O telégrafo: imagine o que era se comunicar com algum lugar distante há 200 anos. Você tinha que esperar semanas (e até mesmo meses) para receber uma resposta através de uma carta. O telégrafo elétrico foi desenvolvido na Inglaterra em 1837 por Sir William Fothergill Cooke e Sir Charles Wheatstone. Coincidentemente no mesmo ano, nos EUA, Samuel Morse criava a sua versão. E as relações humanas nunca mais foram as mesmas.







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe do que é feito e como é feito o chiclete?

É claro que você já mascou chiclete principalmente quando era criança! Mas você sabe de onde é feito chiclete? Como é feito?







    Eu, já ouvi pessoas dizendo que o chiclete vem do couro do boi...mas é claro que não é feito assim, pelo menos não hoje em dia!







      O chiclete não é uma coisa tão nova assim, antigamente, a um tempo que até hoje não se estima, os povos gregos tinham o costume de mascar resina de arvores, os mesmos usavam para estimular a salivação e assim limpar os dentes! Antes da colonização, no continente americano, a colonização europeia tinha o costume também, porém mascavam o látex do sapotizeiro, e era usada pelos Maias e Astecas e outras civilizações, e os mesmos davam o nome de Chicle.









       O chiclete que nós conhecemos hoje, surgiu no ano de 1872, quando Thomas Adams, fabricou o primeiro lote de chicletes em formato de bolas, porém estes não eram feitos de sapotizeiro, e sim aromatizado com resinas naturais do extrato de alcaçuz.

Os seis pratos mais sádicos de todo o Mundo

A maioria de nós ama um bom e suculento bife ou um belo frango assado né? E não é nenhum segredo que a vida de um animal indo para o matadouro não é de sorrisos e canções felizes. Isso é fato.

Mas vai que você se depara com uma comida que requer que o animal não esteja morto, mas que seja torturado de uma maneira terrível e diabólica bem no seu prato. Abaixo estão os exemplos que provam que, para alguns, a crueldade pode ser deliciosa.

ATENÇÃO: Algumas imagens perturbadoras, particularmente em # 1.

# 6.Ikizukuri

Origem:Japão
O que há de tão ruim nisso?Imagine que você está no Japão. Você quer aproveitar a viajem e experimentar a cozinha japonesa autêntica. Aviso: Esta pá de madeira com a imagem da Hello Kitty, não tem nada a ver com esta matéria. Ignore-a.



Você vai a um restaurante de sushi, e na hora do pedido, a primeira coisa que soar apetitoso é o que você vai pedir. Logo você vê uma confusão de sílabas japonesas que parece ser deliciosa: "Ikizukuri". Você pede. E só então, um…

A Verdade Sobre Chris McCandless, “Na Natureza Selvagem”

A Verdade Sobre Chris McCandless, Do Filme “Na Natureza Selvagem”
Quem nunca sonhou em jogar tudo pro alto e ir atrás do que se acredita? Quem já se pegou preso na rotina compulsiva do dia-a-dia, e já se questionou se as modernidades não atrapalham mais do que ajudam? Chris McCandless, famoso personagem do filme “Na Natureza Selvagem” (Into the Wild) fez o que muitos sonham e outros criticam. Ele largou tudo que tinha: seu diploma, seu carro, sua família e até sua conta bancária. Foi com uma mala em busca do grande sonho de se chegar ao Alaska. Conheça a pessoa por trás do filme de Sean Penn. Chris sobreviveu do que caçava e colhia no Alaska por mais de 100 dias Chris era um típico americano de classe-média alta, recém-formado e com problemas de relacionamento com os pais. Deixou tudo e saiu numa Odisseia solitária em busca do gélido Alaska, distante da civilização. O sucesso acadêmico de Chris apenas aguçou o vazio que ele percebia no materialismo da sociedade. Tendo realizado seu grand…