Pular para o conteúdo principal

Cubieboard A20 - O que é e onde comprar.


O Cubieboard é uma mini-computador (mini-PC) ARM de baixo custo em uma única placa, baseado inicialmente no Raspberry Pi, mas com desempenho superior. A versão inicial do Cubieboard lançada em 2012 já contava com o poderoso SoC (System on Chip) ARM Allwinner A10 e CPU com 1GHz de clock com processador ARM Cortex A8 e 1GB de memória RAM DDR3 e memoria NAND flash interna de 4GB. Sendo possível rodar um sistema operacional instalado em um cartão de memoria. 

Já o Cubieboard A20 é uma super atualização da versão inicial. Comparado com a primeira Cubieboard, essa versão vem com o Allwinner A20 que tem uma CPU com processador ARM Cortex A7 Dual-Core e o dobro de performance de GPU. 



Especificações de hardware do Cubieboard A20: 

  • CPU: ARM® Cortex™-A7 Dual-Core 
  • GPU: ARM® Mali400MP2, com OpenGOpenGL ES 2.0/1.1 
  • Memoria RAM: 1GB DDR3 @960M 
  • Armazenamento: 4GB NAND flash expansível até64GB com uSD slot, ou até 2T com hd sata 2.5 
  • Alimentação: Fonte 5V/2A ou USB otg 
  • Rede: 10/100 ethernet, Wifi opcional. 
  • USB: 2 portas USB 2.0 HOST, 1 porta USB 2.0 OTG 
  • 96 pinos GPIO, incluindo I2C, SPI, RGB/LVDS, CSI/TS, FM-IN, ADC, CVBS, VGA, SPDIF-OUT, R-TP. 



No Cubieboard A20 é possível rodar os sistemas operacionais Ubuntu, ArchLinux, Android, Debian, Fedora, OpenSuse e muitas outras distribuições. 




Com o Cubieboard A20, assim como a versão anterior, é possível controlar outros aplicativos, sensores, motores e módulos pelos pinos GPIO, assim, além de ser um mini-computador, a placa serve como uma plataforma de desenvolvimento em hardware livre. 

Pode também conectá-lo a um TV via interface HDMI e utilizar como Android TV ou Ubuntu TV. 

Onde comprar o Cubieboard A20: 

O cubieboard A20 está custando no exterior entre 60 e 85 dólares dependendo dos complementos que você podem vir juntos. No Brasil a placa chega a custar 250 a 300 reais. 

Nestes sites você pode comprar o Cubieboard A20 por menos de 85 dólares e frete grátis: 

  
  • No aliexpress você encontra vários vendedores vendendo o Cubieboard A20 e o frete é grátis para o Brasil. É possível pagar usando o cartão de crédito ou boleto.  Confira!

 
  • É uma super loja online que vende e fabrica vários componentes eletrônicos, incluindo módulos e sensores, vende também o Cubieboard A20, o frete é grátis em compras acima de 50 dólares, Pode pagar usando cartão de crédito ou paypal. Confira!

 
  • O Dealextreme vende vários tipos de produtos incluindo componentes eletrônicos, módulos, arduinos e também o Cubieboard A20, o frete é grátis e pode ser pago via cartão de crédito ou paypal. Confira!

Se preferir comprar no Brasil, é possível comprar nessas lojas: 

LojaMundi:
  
  • Vejo muita gente indicando essa loja no Brasil, o valor está acima de 200 Reais, mas muita gente prefere pagar um pouco mais e ter o produto em casa mais rápido. Confira!

Também devo deixar claro que este post não é uma comparação direta entre o raspberry pi e o cubieboard, pois ambos tem finalidades opostas, como já informei em outro post, o objetivo inicial do Raspberry Pi é levar o ensino ou facilitar a aprendizagem das ciências da computação com um produto de baixo custo. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe do que é feito e como é feito o chiclete?

É claro que você já mascou chiclete principalmente quando era criança! Mas você sabe de onde é feito chiclete? Como é feito?







    Eu, já ouvi pessoas dizendo que o chiclete vem do couro do boi...mas é claro que não é feito assim, pelo menos não hoje em dia!







      O chiclete não é uma coisa tão nova assim, antigamente, a um tempo que até hoje não se estima, os povos gregos tinham o costume de mascar resina de arvores, os mesmos usavam para estimular a salivação e assim limpar os dentes! Antes da colonização, no continente americano, a colonização europeia tinha o costume também, porém mascavam o látex do sapotizeiro, e era usada pelos Maias e Astecas e outras civilizações, e os mesmos davam o nome de Chicle.









       O chiclete que nós conhecemos hoje, surgiu no ano de 1872, quando Thomas Adams, fabricou o primeiro lote de chicletes em formato de bolas, porém estes não eram feitos de sapotizeiro, e sim aromatizado com resinas naturais do extrato de alcaçuz.

Os seis pratos mais sádicos de todo o Mundo

A maioria de nós ama um bom e suculento bife ou um belo frango assado né? E não é nenhum segredo que a vida de um animal indo para o matadouro não é de sorrisos e canções felizes. Isso é fato.

Mas vai que você se depara com uma comida que requer que o animal não esteja morto, mas que seja torturado de uma maneira terrível e diabólica bem no seu prato. Abaixo estão os exemplos que provam que, para alguns, a crueldade pode ser deliciosa.

ATENÇÃO: Algumas imagens perturbadoras, particularmente em # 1.

# 6.Ikizukuri

Origem:Japão
O que há de tão ruim nisso?Imagine que você está no Japão. Você quer aproveitar a viajem e experimentar a cozinha japonesa autêntica. Aviso: Esta pá de madeira com a imagem da Hello Kitty, não tem nada a ver com esta matéria. Ignore-a.



Você vai a um restaurante de sushi, e na hora do pedido, a primeira coisa que soar apetitoso é o que você vai pedir. Logo você vê uma confusão de sílabas japonesas que parece ser deliciosa: "Ikizukuri". Você pede. E só então, um…

A Verdade Sobre Chris McCandless, “Na Natureza Selvagem”

A Verdade Sobre Chris McCandless, Do Filme “Na Natureza Selvagem”
Quem nunca sonhou em jogar tudo pro alto e ir atrás do que se acredita? Quem já se pegou preso na rotina compulsiva do dia-a-dia, e já se questionou se as modernidades não atrapalham mais do que ajudam? Chris McCandless, famoso personagem do filme “Na Natureza Selvagem” (Into the Wild) fez o que muitos sonham e outros criticam. Ele largou tudo que tinha: seu diploma, seu carro, sua família e até sua conta bancária. Foi com uma mala em busca do grande sonho de se chegar ao Alaska. Conheça a pessoa por trás do filme de Sean Penn. Chris sobreviveu do que caçava e colhia no Alaska por mais de 100 dias Chris era um típico americano de classe-média alta, recém-formado e com problemas de relacionamento com os pais. Deixou tudo e saiu numa Odisseia solitária em busca do gélido Alaska, distante da civilização. O sucesso acadêmico de Chris apenas aguçou o vazio que ele percebia no materialismo da sociedade. Tendo realizado seu grand…