Pular para o conteúdo principal

Conheça as técnicas de tortura mais cruéis já criadas



as torturas mais cruéis
Quase todos nós sabemos que os tempos medievais não foram exatamente pacíficos ou tolerantes com as mulheres ou com os que discordassem do poder da Igreja.
Antes disso, o mundo também passou por domínio de outras culturas que também criaram suas próprias técnicas de tortura para os mais diversos fins, seja com criminosos ou não.
Independente do tempo em que essas técnicas de tortura foram inventadas, você com certeza ficará aliviado ao saber que elas não fazem (ou pelos menos não deveriam fazer) mais parte do nosso mundo.
Os exemplos abaixo são verdadeiramente perturbadores, o que faz com que pensemos em como as pessoas sofriam lentamente no passado se os que estavam no poder achassem que elas tinham feito algo errado. O pior de tudo é perceber como algumas dessas invenções são engenhosas e que os torturadores pensavam com cuidado em como infringir mais dor às suas vítimas.
1 – Empalamento/Empalação
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Esse tipo de tortura é considerado altamente cruel e foi utilizado por diferentes civilizações do mundo tudo, principalmente na Europa e na Arábia. A técnica consiste em inserir uma longa estaca de ferro através do ânus, da vagina, do abdômen  ou do umbigo da vítima, sendo que o indivíduo ficará com o objeto preso dentro do corpo até morrer.
Dependendo das circunstâncias, as estacas eram colocadas sobre o carvão em brasa para que as pessoas não morressem logo, porém só depois de algumas horas de hemorragia.
2 – Garfo dos Hereges
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Também conhecido como garfo medieval, esse utensílio era caracterizado por possuir duas extremidades opostas bastante afiadas que eram presas ao pescoço e que faziam com que o torturado não pudesse abaixar a cabeça – caso contrário, o garfo perfuraria o peito e a garganta.
Devido ao cansaço de sustentar o objeto por horas, as vítimas cediam o peso da cabeça e o garfo dos hereges perfurava o corpo eventualmente. O instrumento foi utilizado principalmente na Idade Média, na inquisição espanhola.
3 – Coleira de Tortura
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Esse tipo de instrumento consistia em um teste de resistência em que o indivíduo era obrigado a ficar com uma coleira repleta de pontas afiadas apontadas para o pescoço.
Desse modo, a pessoa não poderia dormir ou comer, talvez nem mexer a cabeça para os lados. Como no Garfo dos Hereges, as vítimas sucumbiam depois de ficarem cansadas, fazendo com que pontas perfurassem os seus pescoços e as matassem.
4 – O Berço de Judas
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Esse equipamento cruel em formato de pirâmide pode ser considerado um tipo de empalamento. As vítimas eram obrigadas a sentar nesses assentos triangulares feitos de ferro, aprisionadas por correntes que também as sustentavam sobre o instrumento.
Normalmente, as torturas eram exibidas publicamente e com as vítimas sem quaisquer roupas para aumentar o grau de humilhação do torturado.
5 – Tortura da Serra
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Esse método era utilizado para matar pessoas, serrando-as ao meio publicamente. As vítimas eram postas de cabeça para baixo, de modo que o sangue corresse para a cabeça, mantendo-as conscientes durante o ato de execução. Muitas vezes, as pessoas não eram serradas por completo, porém somente até uma parte para que morressem agonizando lentamente.
6 - Donzela de Ferro
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Também conhecida como Dama de Ferro, esse armário era composto por uma porta dianteira articulada e um interior cheio de estacas, de modo que atravessassem qualquer ser humano que tentasse se mexer ali enquanto estivesse preso.
Quando a vítima era aprisionada dentro da Donzela de Ferro, somente pequenos buracos permitiam a respiração e a comunicação quando os interrogadores realizassem perguntas. Trata-se de um instrumento de tortura essencialmente medieval – e muito cruel.
7 - Caixão de tortura
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
As vítimas eram aprisionadas em verdadeiras gaiolas, de modo que ficassem suspensas para que as outras pessoas vissem o seu sofrimento.
Uma vez aprisionadas, não eram soltas, morrendo de fome e devido à exposição ao tempo (muitas vezes as vítimas eram colocadas lá nuas). Por fim, os corvos se alimentavam dos restos mortais enquanto os corpos permaneciam em exposição pública.
8 – Parafuso
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Esse instrumento possuía inúmeras variações, porém era utilizado principalmente para esmagar lentamente os dedos das mãos e dos pés quando os interrogadores desejavam obter informações das vítimas. Existe uma variação que também pode esmagar as cabeças das vítimas de modo devagar, além de outros instrumentos adaptados para os joelhos e cotovelos.
9 – Esticador
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
O objetivo desse equipamento era deslocar todas as juntas do corpo das vítimas, sendo considerado uma das formas mais cruéis de tortura na Idade Medieval. Quando a vítima era colocada deitada sobre o esticador, todos os seus membros seriam deslocados lentamente pelas extremidades da estrutura – em alguns casos, os membros eram arrancados das vítimas.
10 – Presidente Judas
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Fonte da imagem: Reprodução/Sai Chulé
Esse aparato brutal foi utilizado na Europa até o século 18, caracterizado por ser uma cadeira repleta de espinhos pontudos e afiados de ferro.
As cadeiras possuíam entre 500 e 1500 pontas, com tiras de couro apertadas que mantinham as vítimas presas às cadeiras quando eram postas lá. Como eram de ferro, elementos de aquecimento também poderiam ser colocados embaixo das cadeiras, ocasionando mais um tipo de tortura.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe do que é feito e como é feito o chiclete?

É claro que você já mascou chiclete principalmente quando era criança! Mas você sabe de onde é feito chiclete? Como é feito?







    Eu, já ouvi pessoas dizendo que o chiclete vem do couro do boi...mas é claro que não é feito assim, pelo menos não hoje em dia!







      O chiclete não é uma coisa tão nova assim, antigamente, a um tempo que até hoje não se estima, os povos gregos tinham o costume de mascar resina de arvores, os mesmos usavam para estimular a salivação e assim limpar os dentes! Antes da colonização, no continente americano, a colonização europeia tinha o costume também, porém mascavam o látex do sapotizeiro, e era usada pelos Maias e Astecas e outras civilizações, e os mesmos davam o nome de Chicle.









       O chiclete que nós conhecemos hoje, surgiu no ano de 1872, quando Thomas Adams, fabricou o primeiro lote de chicletes em formato de bolas, porém estes não eram feitos de sapotizeiro, e sim aromatizado com resinas naturais do extrato de alcaçuz.

Os seis pratos mais sádicos de todo o Mundo

A maioria de nós ama um bom e suculento bife ou um belo frango assado né? E não é nenhum segredo que a vida de um animal indo para o matadouro não é de sorrisos e canções felizes. Isso é fato.

Mas vai que você se depara com uma comida que requer que o animal não esteja morto, mas que seja torturado de uma maneira terrível e diabólica bem no seu prato. Abaixo estão os exemplos que provam que, para alguns, a crueldade pode ser deliciosa.

ATENÇÃO: Algumas imagens perturbadoras, particularmente em # 1.

# 6.Ikizukuri

Origem:Japão
O que há de tão ruim nisso?Imagine que você está no Japão. Você quer aproveitar a viajem e experimentar a cozinha japonesa autêntica. Aviso: Esta pá de madeira com a imagem da Hello Kitty, não tem nada a ver com esta matéria. Ignore-a.



Você vai a um restaurante de sushi, e na hora do pedido, a primeira coisa que soar apetitoso é o que você vai pedir. Logo você vê uma confusão de sílabas japonesas que parece ser deliciosa: "Ikizukuri". Você pede. E só então, um…

A Verdade Sobre Chris McCandless, “Na Natureza Selvagem”

A Verdade Sobre Chris McCandless, Do Filme “Na Natureza Selvagem”
Quem nunca sonhou em jogar tudo pro alto e ir atrás do que se acredita? Quem já se pegou preso na rotina compulsiva do dia-a-dia, e já se questionou se as modernidades não atrapalham mais do que ajudam? Chris McCandless, famoso personagem do filme “Na Natureza Selvagem” (Into the Wild) fez o que muitos sonham e outros criticam. Ele largou tudo que tinha: seu diploma, seu carro, sua família e até sua conta bancária. Foi com uma mala em busca do grande sonho de se chegar ao Alaska. Conheça a pessoa por trás do filme de Sean Penn. Chris sobreviveu do que caçava e colhia no Alaska por mais de 100 dias Chris era um típico americano de classe-média alta, recém-formado e com problemas de relacionamento com os pais. Deixou tudo e saiu numa Odisseia solitária em busca do gélido Alaska, distante da civilização. O sucesso acadêmico de Chris apenas aguçou o vazio que ele percebia no materialismo da sociedade. Tendo realizado seu grand…