Pular para o conteúdo principal

5 jogos para morrer de nostalgia no fim de semana

Fala, galera, tudo bom com vocês? Hoje vamos ser um pouco nostálgicos e falar de jogos daquela época onde tudo era mais simples e você podia passar a tarde inteira jogando sem precisar se preocupar com mais nada além de coisas como “será que o Urameshi finalmente vence o Toguro no próximo episódio?” ou “quantos episódios o Freeza ainda vai ficar enrolando até Namekuzei explodir?”.
Sem mais demoras, vamos às sugestões:
5. International Superstar Soccer Deluxe
allejo-international-superstar-soccer
Que mané Fifa online com os broder, o negócio é juntar a galera, os controles de SNES e partir pro duelo épico entre Allejo e Fuerte. International Superstar Soccer Deluxe era o melhor título de futeboldo SNES disparado, numa época que Fifa não era o gigante que é hoje em dia.
Eu lembro de passar horas e horas jogando com meus primos esse jogo, além de ficar outras horas personalizando os nomes do time do Brasil com os dos jogadores do Grêmio de 95, o único lugar na Terra onde o Jardel conseguia dar mais de 2 passos com a bola nos pés sem fazer cagada.
Saudades desse jogo.
4. Super Punch Out!! 
257386-1
Um jogo bastante difícil para a sua época, Super Punch Out foi a felicidade dos fãs de boxe nos anos 90. Aqui, você é um boxeador que deve desafiar os mais variados lutadores, cada um com seu estilo característico e uma maneira ou outra de te fazer cuspir o protetor bucal enquanto esmurra o controle para levantar antes do fim da contagem.
O mais legal é que o jogo realmente resistiu ao teste do tempo e ainda tem visuais bem simpáticos para quem decidir jogá-lo. Só cuidado para não jogar o controle na parede, já que tem horas que o jogo decide que vai te nocautear e não tem muito o que você possa fazer para não ver estrelas.
3. Pokémon Red/Blue
pokemon-red
Quem aí não ficou com vontade de jogar novamente Pokémon Red/Blue depois do fenômeno Twitch Plays Pokémon? Pois é, eu fiquei com tanta que até fui procurar um emulador pro meu iPhone, já que levar um Game Boy pra aula da faculdade não ia pegar muito bem. O bom desse tipo de jogo que é, como a internet provou, você pode jogar bem na manha, entre uma anotação e outra.
2. Streets of Rage
streets capa
O Final Fight da SEGA é uma ótima alternativa para os que cresceram com um Mega Drive em baixo de suas TVs. Eu admito que nunca fui muito fã do jogo, mas já que é para curtir uma nostalgia, por que não dar mais uma chance a esse jogo, não é mesmo? O melhor de tudo é que o gênero Beat Them Up fica 10x melhor jogando com alguém, então é o jogo perfeito para jogar com namorada, irmão, primo etc.
1. The Legend of Zelda: A Link to the Past
zelda-a-link-to-the-past
Um dos melhores Zeldas de todos os tempos e provavelmente o primeiro que a maioria aqui jogou, The Legend of Zelda: A Link to the Past ainda hoje é um excelente RPG de ação, que inspira diversos títulos recentes. Se você nunca terminou esse jogo, fica aqui a missão para o fim de semana, já que é um item obrigatório no currículo de qualquer gamer que se prese.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe do que é feito e como é feito o chiclete?

É claro que você já mascou chiclete principalmente quando era criança! Mas você sabe de onde é feito chiclete? Como é feito?







    Eu, já ouvi pessoas dizendo que o chiclete vem do couro do boi...mas é claro que não é feito assim, pelo menos não hoje em dia!







      O chiclete não é uma coisa tão nova assim, antigamente, a um tempo que até hoje não se estima, os povos gregos tinham o costume de mascar resina de arvores, os mesmos usavam para estimular a salivação e assim limpar os dentes! Antes da colonização, no continente americano, a colonização europeia tinha o costume também, porém mascavam o látex do sapotizeiro, e era usada pelos Maias e Astecas e outras civilizações, e os mesmos davam o nome de Chicle.









       O chiclete que nós conhecemos hoje, surgiu no ano de 1872, quando Thomas Adams, fabricou o primeiro lote de chicletes em formato de bolas, porém estes não eram feitos de sapotizeiro, e sim aromatizado com resinas naturais do extrato de alcaçuz.

Os seis pratos mais sádicos de todo o Mundo

A maioria de nós ama um bom e suculento bife ou um belo frango assado né? E não é nenhum segredo que a vida de um animal indo para o matadouro não é de sorrisos e canções felizes. Isso é fato.

Mas vai que você se depara com uma comida que requer que o animal não esteja morto, mas que seja torturado de uma maneira terrível e diabólica bem no seu prato. Abaixo estão os exemplos que provam que, para alguns, a crueldade pode ser deliciosa.

ATENÇÃO: Algumas imagens perturbadoras, particularmente em # 1.

# 6.Ikizukuri

Origem:Japão
O que há de tão ruim nisso?Imagine que você está no Japão. Você quer aproveitar a viajem e experimentar a cozinha japonesa autêntica. Aviso: Esta pá de madeira com a imagem da Hello Kitty, não tem nada a ver com esta matéria. Ignore-a.



Você vai a um restaurante de sushi, e na hora do pedido, a primeira coisa que soar apetitoso é o que você vai pedir. Logo você vê uma confusão de sílabas japonesas que parece ser deliciosa: "Ikizukuri". Você pede. E só então, um…

A Verdade Sobre Chris McCandless, “Na Natureza Selvagem”

A Verdade Sobre Chris McCandless, Do Filme “Na Natureza Selvagem”
Quem nunca sonhou em jogar tudo pro alto e ir atrás do que se acredita? Quem já se pegou preso na rotina compulsiva do dia-a-dia, e já se questionou se as modernidades não atrapalham mais do que ajudam? Chris McCandless, famoso personagem do filme “Na Natureza Selvagem” (Into the Wild) fez o que muitos sonham e outros criticam. Ele largou tudo que tinha: seu diploma, seu carro, sua família e até sua conta bancária. Foi com uma mala em busca do grande sonho de se chegar ao Alaska. Conheça a pessoa por trás do filme de Sean Penn. Chris sobreviveu do que caçava e colhia no Alaska por mais de 100 dias Chris era um típico americano de classe-média alta, recém-formado e com problemas de relacionamento com os pais. Deixou tudo e saiu numa Odisseia solitária em busca do gélido Alaska, distante da civilização. O sucesso acadêmico de Chris apenas aguçou o vazio que ele percebia no materialismo da sociedade. Tendo realizado seu grand…