Pular para o conteúdo principal

Terror ao Ar Livre!

terror ao ar livre
Se você é fã do gênero terror e se diverte com casas mal assombradas de parques, com esqueletos de plástico ou filmes com corpos expostos, cheio de crânios olhando fixamente para você, então pode ser que você goste do tema de hoje: lugares onde o macabro é real!
Navegando, encontrei na pagina Fatos Desconhecidos uma matéria falando de lugares no mundo onde esse tipo de cena macabra é comum. Eu sinceramente achei perturbador, mas resolvi compartilhar com vocês.
Os cadáveres queimados – Papua, Nova Guiné
Existem lugares do mundo onde a pratica de se cremar os mortos e manter suas cinzas em casa, como uma relíquia de família é comum. Isso já é mórbido, mas o povo Kuku-Kuku dos Aseki, em Papua – Nova Guiné consegue fazer isso em um nível totalmente diferente. Quando um membro da tribo morre, às vezes seus parentes o enterram, outras usam o fogo e a fumaça para desidratar o corpo e criar um tipo de múmia. Então eles expõem esses corpos em cavernas e caminhos, apoiados em estruturas de bambu, para protegerem suas vilas. Se alguém por lá sentir saudade de um parente, é só ir dar uma olhadinha nele…

Ossos na Praia – El Conchalito, praia em Baja Califórnia Sur – México
Imagine estar passeando na praia, caminhando descalço na areia e, sentindo algo rígido sob seus pés, descobrir que se trata de um osso, e humano! Então você olha ao redor e vê mais um aqui, outro ali… Em El Conchalito há lotes de esqueletos mal enterrados na areia.
As primeiras queixas a respeito foram feitas por moradores da região em 1981 e se pensou que fosse o local de desova de vitimas do cartel. Mas arqueólogos constataram que a praia foi usada séculos antes por nômades como cemitério para seus mortos. Por isso não é incomum alguém encontrar esqueletos na praia.
ossos em El Conchalito

Ossos na Praia – Skeleton Coast, Namíbia – África
A praia Skeleton Coast (costa do esqueleto), antes conhecida como Areias do Inferno, também é um local cheio de esqueletos. Lá você pode encontrar os ossos de muitos marinheiros que estavam em busca de diamantes. Mas embora tenham encontrados pedras o bastante para levar uma vida confortável, acabarem morrendo de sede na imensidão destas praias.
ossos em skeleton coast

Corpos Congelados – Monte Everest
Todos os anos muitos alpinistas tentam a escalada do Monte Everest, porém muitos morreram tentando chegar ao topo e, a maioria deles, ainda esta lá em cima! Existe ate uma sessão da montanha conhecida como Rainbow Valley (Vale do arco-íris), por conta das dezenas de corpos visíveis, trajando jaquetas coloridas.
Embora a escalada em si não seja realmente tão difícil, o problema esta na altitude. Após os 26 mil pés, você se encontra na Zona da Morte, onde o oxigênio é tão rarefeito que o corpo humano não pode sobreviver. Por isso você precisa levar um suprimento, ou cairá de exaustão e poderá acabar ficando na mesma posição para sempre…

E ainda existem mais lugares mórbidos pelo mundo, que se vocês desejarem podemos pesquisar e mostrar. Mas, você teria coragem de visitar um local desses, sabendo o que vai encontrar? Eu prefiro ficar em outros ares…

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe do que é feito e como é feito o chiclete?

É claro que você já mascou chiclete principalmente quando era criança! Mas você sabe de onde é feito chiclete? Como é feito?







    Eu, já ouvi pessoas dizendo que o chiclete vem do couro do boi...mas é claro que não é feito assim, pelo menos não hoje em dia!







      O chiclete não é uma coisa tão nova assim, antigamente, a um tempo que até hoje não se estima, os povos gregos tinham o costume de mascar resina de arvores, os mesmos usavam para estimular a salivação e assim limpar os dentes! Antes da colonização, no continente americano, a colonização europeia tinha o costume também, porém mascavam o látex do sapotizeiro, e era usada pelos Maias e Astecas e outras civilizações, e os mesmos davam o nome de Chicle.









       O chiclete que nós conhecemos hoje, surgiu no ano de 1872, quando Thomas Adams, fabricou o primeiro lote de chicletes em formato de bolas, porém estes não eram feitos de sapotizeiro, e sim aromatizado com resinas naturais do extrato de alcaçuz.

Os seis pratos mais sádicos de todo o Mundo

A maioria de nós ama um bom e suculento bife ou um belo frango assado né? E não é nenhum segredo que a vida de um animal indo para o matadouro não é de sorrisos e canções felizes. Isso é fato.

Mas vai que você se depara com uma comida que requer que o animal não esteja morto, mas que seja torturado de uma maneira terrível e diabólica bem no seu prato. Abaixo estão os exemplos que provam que, para alguns, a crueldade pode ser deliciosa.

ATENÇÃO: Algumas imagens perturbadoras, particularmente em # 1.

# 6.Ikizukuri

Origem:Japão
O que há de tão ruim nisso?Imagine que você está no Japão. Você quer aproveitar a viajem e experimentar a cozinha japonesa autêntica. Aviso: Esta pá de madeira com a imagem da Hello Kitty, não tem nada a ver com esta matéria. Ignore-a.



Você vai a um restaurante de sushi, e na hora do pedido, a primeira coisa que soar apetitoso é o que você vai pedir. Logo você vê uma confusão de sílabas japonesas que parece ser deliciosa: "Ikizukuri". Você pede. E só então, um…

A Verdade Sobre Chris McCandless, “Na Natureza Selvagem”

A Verdade Sobre Chris McCandless, Do Filme “Na Natureza Selvagem”
Quem nunca sonhou em jogar tudo pro alto e ir atrás do que se acredita? Quem já se pegou preso na rotina compulsiva do dia-a-dia, e já se questionou se as modernidades não atrapalham mais do que ajudam? Chris McCandless, famoso personagem do filme “Na Natureza Selvagem” (Into the Wild) fez o que muitos sonham e outros criticam. Ele largou tudo que tinha: seu diploma, seu carro, sua família e até sua conta bancária. Foi com uma mala em busca do grande sonho de se chegar ao Alaska. Conheça a pessoa por trás do filme de Sean Penn. Chris sobreviveu do que caçava e colhia no Alaska por mais de 100 dias Chris era um típico americano de classe-média alta, recém-formado e com problemas de relacionamento com os pais. Deixou tudo e saiu numa Odisseia solitária em busca do gélido Alaska, distante da civilização. O sucesso acadêmico de Chris apenas aguçou o vazio que ele percebia no materialismo da sociedade. Tendo realizado seu grand…