E o Universo pode ser um grande holograma

o universo pode ser um holograma 1postNo final do século passado, o físico teórico argentino Juan Maldacena apresentou pela primeira vez a teoria de que o Universo como o conhecemos não poderia ser real, mas uma projeção holográfica, segundo publicação da revista Nature.
Para o defensor da teoria das cordas, a verdadeira ação seria desenvolvida em um Universo mais simples, mais plano onde não existe gravidade. A ideia foi recebida com grande interesse pelo mundo científico, mas sem provas concretas que a sustentassem.Agora, uma equipe de físicos japoneses forneceram evidências que respaldam essa hipótese.

Segundo Maldacena, a gravidade do Universo vem de finas cordas vibrantes, que podem ser reinterpretado nos termos da Física clássica. Este mundo matematicamente complexo existe em 9 dimensões do espaço e uma temporal. Não seria mais que um holograma: a verdadeira ação se desenvolveria e um Cosmos mais simples e mais chato onde não há gravidade. A ideia do físico argentino resolveria aparentes inconsistências entre a Física Quântica e a teoria da relatividade de Einstein, mas ainda não há provas para confirmá-la.
Em 2 artigos publicados no repositório arXiv da Universidade de Ibaraki (Japão),  Yoshifumi Hyakutake e sua equipe acreditam ter encontrado evidências de que Maldacena está no caminho certo.
Em um dos artigos, os pesquisadores calculam a energia interna de um buraco negro, a posição do seu horizonte de eventos (sua “borda”), sua entropia (a “desordem” do sistema) e outras propriedades baseadas nas predições da teoria das cordas, assim como os efeitos das chamadas partículas virtuais, que surgem continuamente dentro e fora da existência. No outro, calculam a energia interna do suposto universo com menos dimensões e sem gravidade. Os dois cálculos coincidem.
“Os japoneses confirmaram numericamente, talvez pela primeira vez, algo que certamente deve ser verdade, mas era ainda uma conjectura que a termodinâmica de certos buracos negros pode ser reproduzida a partir de um Universo dimensionalmente inferior”, diz Leonard Susskind, físico teórico da Universidade de Stanford que esteve entre os primeiros teóricos a explorar a ideia de universos holográficos.
“Nenhum dos modelos de Universo explorados pela equipe japonesa parece o nosso”, comenta Maldacena. O Cosmos com um buraco negro possui 10 dimensões, com 8 delas formando uma esfera octadimensional. A dimensão inferior, livre de gravidade, possui apenas uma única dimensão, e o zoológico de partículas quânticas lembra um grupo de springs idealizados, ou osciladores harmônicos, anexados um ao outro.
No entanto, diz Maldacena, a prova numérica que estes mundos distintos são na verdade idênticos nos dá esperança de que as propriedades gravitacionais do nosso universo possam um dia ser explicados por um cosmos simples puramente em termos de teoria quântica.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe do que é feito e como é feito o chiclete?

A Verdade Sobre Chris McCandless, “Na Natureza Selvagem”

Os seis pratos mais sádicos de todo o Mundo