As misteriosas crianças com pele verde

No século XII, duas crianças teriam sido encontrados em Suffolk, na Inglaterra, com a pele verde. Os dois, um menino e uma menina, não poderiam informar seus salvadores sobre o lugar de onde vieram, ou mesmo dizer seus nomes, porque eles não falavam qualquer língua conhecida. Para tornar a situação ainda mais estranha, descobriu-se que as crianças rejeitavam todos os alimentos, exceto o feijão.
As misteriosas crianças com pele verde
Segundo o historiador William de Newburgh, as crianças foram encontradas na entrada de um grande poço durante a época da colheita por um grupo de conterrâneos. Eles não falavam nenhuma língua conhecida, suas peles eram verdes, e usavam roupas incomuns. Relatos dizem que eles foram levados para a casa de um fazendeiro local, Richard De Calne, onde passaram a morar.
Estranhamente, as crianças não comeram nada durante dias, até que receberem feijão, alimento que eles comeram rapidamente. Passados alguns meses apenas comendo feijão, eles se acostumaram ao pão. Logo depois, os dois filhos foram batizados, mas o menino morreu logo depois. No entanto, a menina cresceu, perdeu a pigmentação verde, e aprendeu a falar inglês.
Ela explicou que eles tinham vindo de uma terra sem luz solar, e que toda a área era verde. À menina foi supostamente dado o nome de “Agnes”, e se casou com um oficial do rei chamado Richard Barre. Esses relatos vêm de dois historiadores: William de Newburgh e Ralph de Coggeshall.
Segundo eles, a garota e seu irmão estavam em busca do rebanho do pai e seguiram por uma caverna. Após vagar na escuridão após um certo tempo, eles encontraram uma saída (o poço), ficando momentaneamente cegos pela luz solar.
Explicações nada convencionais têm sido formuladas para explicar a história. Alguns dizem que as crianças verdes vieram de um mundo secreto subterrâneo, cuja entrada era aquele poço. Outra hipótese, não menos absurda, é que o poço era um portal para um universo paralelo que de alguma forma transportou as crianças de seu mundo até Suffolk. Outros dizem que eles eram alienígenas e, que de alguma forma, chegaram em nosso planeta.
No entanto, a teoria mais aceita hoje em dia (considerando a história como verdadeira) é a seguinte: A data do incidente teria de ser empurrada até 1173, durante o reinado de Henrique II. Durante este período, Henry II perseguiu imigrantes e numerosas batalhas ocorreram (resultando em muitas mortes). Paul Harris, o estudioso que originalmente apresentou esta teoria, acredita que as crianças viviam em Fornham St. Martin, uma aldeia situada a poucos quilômetros de Suffolk. Harris explica que após a sua aldeia ter sido invadida e seus pais terem sido assassinados, as crianças fugiram para a floresta Thetford, e ficaram lá por tempo suficiente para desenvolver anemia, o que ajudaria a explicar a pigmentação incomum. Ele sugere que as crianças vagaram por uma passagem subterrânea. As passagens são remanescentes de minas de pedra que datam do Neolítico, cerca de 4.000 anos atrás. Eventualmente, as crianças chegaram em Suffolk, sendo encontradas ali. Parece lógico que as crianças, subnutridas e falando uma língua desconhecida, fossem consideradas alienígenas para os ingleses. [KnowledgeNuts]

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe do que é feito e como é feito o chiclete?

A Verdade Sobre Chris McCandless, “Na Natureza Selvagem”

Os seis pratos mais sádicos de todo o Mundo